À MARGEM DA IMAGEM

À Margem da Imagem é um curta-metragem em 35 mm, com cerca de 30 minutos de duração, que vai focalizar as rotinas de sobrevivência, o estilo de vida e a cultura dos moradores de rua do município de São Paulo. A Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas) acaba de concluir pesquisa sobre o assunto e revela a existência de cerca de 9 mil pessoas vivendo pelas ruas de São Paulo. Trata-se de um problema dramático que vem se agravando a cada dia.

O documentário vai mostrar o cotidiano dessas comunidades que vivem em várias áreas da cidade, principalmente na região central. Nesta área, os moradores de rua têm acesso a produtos e materiais descartados pelos escritórios, bancos e estabelecimentos comerciais. Com esses restos, a população de rua vem criando uma "arquitetura" e uma cultura própria que, ao mesmo tempo, expressam sua identidade e uma forma de resistência a partir de métodos alternativos e espontâneos de viver numa grande cidade.

À Margem da Imagem vai focalizar temas como exclusão social, desemprego, alcoolismo, loucura, religiosidade, espaços públicos contemporâneos, degradação urbana, identidade, alteridade, cidadania e, como sugere o próprio título, o roubo da imagem dessas comunidades, promovendo assim uma discussão ética dos processos de estetização da miséria.

O projeto é baseado nas pesquisas da filósofa Maria Cecilia Loschiavo dos Santos, professora da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, que há cinco anos coordena o projeto "Aspectos do Design no Hábitat Informal das Grandes Cidades", tendo pesquisado a situação dos moradores de rua nas cidades de São Paulo, Los Angeles e Tóquio.

Além da veiculação em emissoras de televisão, o documentário também será exibido em instituições que dão assistência aos moradores de rua, albergues, casas de convivência, Organizações não Governamentais (ONGs), universidades e centros de pesquisa no Brasil e no exterior. "À Margem da Imagem" tem como objetivo estimular o debate entre estudiosos do tema como urbanistas, geógrafos, assistentes sociais e sociólogos, além de sensibilizar e informar pessoas responsáveis pela elaboração de políticas públicas para a população de moradores de rua.

Sobre o diretor
Evaldo Mocarzel
Evaldo Sérgio Vinagre Mocarzel tem 40 anos e nasceu no dia 9 de fevereiro de 1960 em Niterói, no Estado do Rio. Formou-se em Cinema e Jornalismo na Universidade Federal Fluminense, no Rio, em 1982. Fez produções de especiais de rock na TV Manchete e editou mais de 50 comerciais de discos para a Polygram. Trabalha há dez anos no jornal O Estado de São Paulo e, há seis, é editor do Caderno 2. Fez curso de cinema na New York Film Academy, no ano passado.

Também no ano passado realizou o seu primeiro curta-metragem, Retratos no Parque, focalizando o confronto entre um morador de rua e um turista num parque de uma grande cidade. O curta conquistou o prêmio de Melhor Trilha Sonora no 4º Festival de Cinema do Recife e passou pelas seguintes mostras: 10º Festival Internacional de Curtas-metragens de São Paulo, 32º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, 23ª Mostra Internacional de Cinema São Paulo, Mostra Curta Cinema do Rio de Janeiro no ano passado, Mostra do Audiovisual Paulista 2000, Festival de Tiradentes e 28º Festival de Gramado — Cinema Latino e Brasileiro, entre outras.

Retrato no Parque também foi exibido no programa Curta Brasil, da TVE, no programa Zoom da TV Cultura, e foi comprado e exibido no Canal Brasil.

Além de jornalista e realizador de curta-metragem, Evaldo Mocarzel também faz parte do Círculo de Dramaturgia criado pelo diretor teatral Antunes Filho no Centro de Produção Teatral (CPT) do Sesc, em São Paulo.

Sobre a pesquisadora
Maria Cecília Loschiavo dos Santos
Filósofa, mestrado e doutorado em Estética pela Universidade de São Paulo.

Pós-doutorado na School of Public Policy and Social Research, University of California, Los Angeles.

Pós-doutorado na Nihon University, College of Arts, em Tóquio.

Autora de seis livros e cerca de 200 artigos publicados em revistas científicas e imprensa diária.

Há cinco anos coordena o projeto Aspectos do Design no Habitar Informal das Grandes Cidades, sobre o design espontâneo entre os moradores de rua nas cidades de São Paulo, Los Angeles e Tóquio. Este projeto contou com o patrocínio das seguintes instituições: Japan Foundation, Swedish Institute, University of California, Los Angeles, Fowler Museum of Cultural History e FAPESP — Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo.

Os resultados desta pesquisa integram a exposição fotográfica Castoff/Outcast — Living on the street, que está itinerando internacionalmente, tendo sido exposta em: Fowler Museum of Cultural History — Los Angeles e Waseda University — Tóquio, seguindo para Politécnico de Milão e Konstfak na Suécia.

Prêmios "A Margem da Imagem" — Versão Longa-Metragem

31° FESTIVAL DE GRAMADO -
CINEMA BRASILEIRO E LATINO
Melhor Longa-Metragem Documentário

FESTIVAL DO RIO 2003
Melhor Longa-Metragem Documentário

Prêmios "A Margem da Imagem" — Versão Curta-Metragem

XII CINE CEARÁ / 2002
Melhor montagem (Marcelo Moraes)

XIII FESTIVAL INTERNACIONAL
DE CURTAS-METRAGENS DE SÃO PAULO
Prêmio do Público
Prêmio Aquisição Canal Brasil
Prêmio Aquisição espaço Unibanco
Margarida de Prata / 2002
Prêmio de Melhor Curta dado pela CNBB

29° JORNADA DA BAHIA
Prêmio Glauber Rocha (Tatu de Ouro)
Melhor Curta

FESTIVAL DE GOIÂNIA / 2002
Melhor Curta da Mostra Brasil

EVALDO MOCARZEL

49° Festival de OBEHAUSEN / 2003
Menção Honrosa do Júri Internacional
Menção Honrosa do Júri Ecumênico

5° FESTIVAL DO CINEMA BRASILEIRO DE PARIS
Prêmio de Melhor Curta-Metragem

FESTIVAL DE CAMBORIÚ
Melhor Curta-Metragem
Melhor Filme (Curta)
Melhor Roteiro
Melhor Montagem